Dicas de Saúde

Previna a dor de ouvido em bebês

A presença da dor de ouvido em bebês, principalmente em recém-nascidos, pode ser uma grande preocupação para as mães e pais de primeira viagem. Porém, para ficar longe do problema, existem algumas medidas simples para evitá-la.  

De acordo com a Dra. Jeanne Oiticica, médica otorrinolaringologista, especialista em otoneurologia e chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, é possível que o nenê esteja sentindo dores quando ele chora ao mamar ou se alimentar, devido ao ato de deglutir que acaba intensificando o incômodo nessa região. Para tirar a dúvida, a médica recomenda fazer uma pressão no Tragus, pequena cartilagem um pouco acima do lóbulo da orelha, que fica à frente do canal do ouvido. “Observe a reação da criança. Em caso de choro, repulsa e desconforto visível ao toque ou à pressão, reforça-se a suspeita. Nesse caso é necessário procurar um otorrinolaringologista”.

Evite os hábitos que podem favorecer a dor de ouvido

Existem algumas práticas que podem colaborar para o surgimento da dor como colocá-los para tomarem mamadeira deitados. “A criança nasce com a Tuba de Estáquio, estrutura cilíndrica que lembra um canudo e que comunica ouvido e nariz, muito pouco angulada. Isso favorece que alimentos e secreções possam regurgitar do fundo da garganta e do nariz para os ouvidos. Com o crescimento da cabeça e da face, a Tuba de Estáquio passa aos poucos a ocupar posição mais vertical, o que minimiza essa possibilidade”, explica Dra. Jeanne.

Vale lembrar que colocar a criança para mamar no peito deitado não prejudica o ouvido já que o fluxo de leite que sai da mama é menor do que na mamadeira. Nunca se esqueça: o leite materno é o melhor alimento para o seu bebê. Amamente sempre!

Outro fator, segundo a médica, é o uso dos cotonetes, em especial em situação de umidade da pele do canal do ouvido, por exemplo, após o banho. “O cotonete, ao ser introduzido no canal, causa uma fricção local da pele, desloca e retira a camada gordurosa protetora (produzida pelas glândulas ceruminosas, o cerume), gera microfissuras que podem ser porta de entrada para infecções por bactérias, fungos e vírus. Não é à toa que na embalagem do produto tem uma mensagem para não introduzir a haste no canal do ouvido”.